Conhecendo a tralha de pesca – Parte 1

A partir desse conteúdo, vamos iniciar uma série de posts que vão detalhar todas as “tralhas” ou equipamentos que o pescador necessita para realizar a sua pescaria!

Vamos tratar de anzol até varas de pescar, detalhando cada equipamento e suas características.

 

  1. Anzóis

Anzóis ou artefatos semelhantes tem sido manufaturado há milhares de anos. Os mais antigos, de 7.000 anos A.C, são da Palestina. Uma descoberta recente, de 2011, na caverna de Jerimalai em Timor-Leste, descobriu um anzol feito de conchas, que teria 40.000 anos!

Em 2005, o anzol foi escolhido como uma das vinte melhores ferramentas na história do homem.

Desde estes primórdios tempos, o homem tem empenhado em desenvolver novos modelos de anzóis. Nas lojas de pesca há infinidades de modelos, que, dependo da intenção de sua pescaria, pode ser mais eficiente ou não. Neste caso, é melhor solicitar ao balconista, um que se encaixa na sua modalidade de pesca.

Os modelos de anzóis são: Maruseigo, Chinu, Baithoder, Wild Gap e Cristal.

 

  1. Leaders

São componentes ligados aos anzóis ou snaps, para dar mais resistência a linha principal, capaz de aguentar a fisgada, arranque ou atrito com a dentição do peixe ou estruturas rígidas que possam romper a linha.

Pode ser fabricado de aço, nylon ou fluorcarbono.

 

  1. Snaps/Giradores

Os snaps são presilhas de rápida abertura, para que o pescador possa substituir uma isca artificial.

Já os giradores são fundamentais para que a linha principal não sofra torções.

O material de ambos, normalmente é aço ou latão.

Anzóis, boias, iscas artificiais e outros acessórios

Anzóis, boias, iscas artificiais e outros acessórios

  1. Boias

As boias têm duas funções básicas na pescaria: manter o anzol longe do fundo e também como sinalizador para o pescador.

Quando o peixe está se alimentando da sua isca, ela se torna fundamental.

Normalmente, elas são fabricadas em EPS, PU ou plástico injetado.

Os modelos de boias são: cevadeira, luminosa ou de arremessos.

 

  1. Chumbadas

Popularmente conhecidas, as chumbadas têm como função auxiliar os arremessos, contrabalanceando o peso para que se consiga arremessar onde se quer, além disso, mantém a linha esticada e proporciona maior velocidade nos lançamentos.

Em locais que possuam fundos arenosos, as chumbadas são úteis para manter a linha esticada e no lugar que se pretende. Dependendo da correnteza e das ondas estes chumbos podem vir com hastes de fixação.

Já nos locais que são caracterizados por rochas, as chumbadas precisam ter um formato que não enrosque com facilidade ou até mesmo ser facilmente desprendidas de possíveis enroscos.

 

  1. Iscas artificiais

São artefatos usados na pesca de várias espécies marinhas que vivem em água doce ou salgada. Consistem na maioria das vezes, em um objeto preso na extremidade de uma linha de pesca que é projetado para assemelhar-se ou imitar a uma presa.

Uma isca artificial está associada a um ou vários anzóis de modo que o animal ao o abocanhar seja fisgado e fique preso

Uma das vantagens imediatas da utilização deste tipo de iscas é a de não existir a necessidade de adquirir uma isca natural sempre que vamos à pesca.

A pesca com isca artificial normalmente é muito mais dinâmica e técnica que a praticada com iscas naturais, devido ao trabalho constante em movimentar a isca para provocar a presa.

 

Curtiu nosso post de hoje? Lembrando que se houverem dúvidas, críticas ou sugestões de review, nós ficaremos muito felizes em responder. Então é só deixar o seu comentário!

Até a próxima!

Veja também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *